Besouro Chinês

Anoplophora glabripennis (Motchulsky)
Besouro Asiático Culticórnio


INFORMAÇÕES BÁSICAS

Na China, o Anoplophora glabripennis é conhecido como “besouro do céu estrelado”, sendo considerado uma grande praga das árvores de madeira dura em muitas regiões do país. Com base na distribuição chinesa e nas recentes infestações nos Estados Unidos, estima-se que o besouro sobreviveria nas florestas de madeira dura do sul do Canadá.

A primeira constatação de estabelecimento desse besouro fora de sua área nativa foi feita nas cidades de Brooklyn e Amityville, Nova Iorque, em 1996. Descobriu-se que muitas árvores estavam intensamente atacadas, particularmente bordos. Procedimentos de quarentena e erradicação foram rapidamente implementados para evitar maior disseminação e para eliminar a população de besouros. MAis recentemente (Julho-Agosto de1998), foram descobertas três infestações separadas em Chicago, Illinois. Essas infestações também estão passando por quarentena e erradicação.

HOSPEDEIROS

Diversas árvores de madeira dura servem como hospedeiros. Na Ásia, os principais hospedeiros são o bordo (Acer), o choupo (Populus) e o salgueiro (Salix). Entre outros hospedeiros incluem-se a, castanheira-da-índia (Aesculus), a bétula (Betula), o olmo (Ulmus), o Liquidambar, o freixo (Fraxinus), a amoreira (Morus), a ameixeira (Prunus), a pereira (Pyrus), e a Robinia. Descobriu-se que os cinco primeiros gêneros servem de apoio à reprodução em Nova Iorque.

DISTRIBUIÇÃO

  • Ásia: China, Coréia. América do Norte: EUA – Nova Iorque (em erradicação), Chicago (em erradicação).

BIOLOGIA

Na China, esta espécie pode ter um ciclo de vida de um ou dois anos, dependendo da região geográfica. O ovo, a larva, ou a pupa podem hibernar. Adultos jovens surgem de árvores infestadas em maio, podendo voar por várias centenas de metros para procurar um hospedeiro. Entretanto, eles tendem a atacar a mesma árvore de que surgiram. Os adultos ficam ativos do início do verão até meados o outono. Eles alimentam-se periodicamente da casca de gravetos durante toda a época de acasalamento e postura de ovos. Em dias de sol, os besouros adultos ficam mais ativos do meio da manhã até o começo da tarde. Eles normalmente descansam no abrigo em dias nublados. Na preparação para a postura, as fêmeas cavam sulcos ovais na casca onde põem seus ovos, com cerca de 5-7 mm de comprimento. Em média, cada fêmea vive 40 dias e, durante esse período, põem entre 25 e 40 ovos. Os ovos eclodem dentro de uma a duas semanas. Larvas jovens começam a alimentar-se do tecido floêmico e, à medida que amadurecem, migram para a floresta, criando túneis à medida que se alimentam. As larvas tornam-se pupas e, em seguida, adultos, nos túneis durante o verão. Os novos adultos saem da árvore através de orifícios grandes e redondos, de aproximadamente 10-15 mm de diâmetro.

DETECÇÃO E IDENTIFICAÇÃO – Sintomas

  • Sulcos ovais transversais na casca, de aproximadamente 10-15 mm (resultado da abertura de sulcos na casca por fêmeas adultas, para deposição de ovos). Os sulcos podem ser encontrados em qualquer ponto da árvore, inclusive em galhos, no tronco, e em raízes expostas.
  • Freqüentemente é verificado escorrimento de seiva dos sulcos onde ovos são depositados (Fig. 4).
  • Orifícios grandes e redondos (10-15 mm de diâmetro), criados pelos recém-adultos (Fig. 2).
  • Pilhas de serragem grossa em torno da base da árvore e nas axilas dos galhos (Fig. 3).

    Identificação

    Os adultos besouros grandes, de coloração preta-azulada (2,5 a 3,5 cm de comprimento) com pintas brancas e antenas muito longas (Fig. 1). As larvas e pupas, normalmente, ficam detro da árvore nos túneis larvais (Fig. 1). Larvas totalmente desenvolvidas podem atingir 50 mm de comprimento.


Fig. 1

Fig. 2

Fig. 3

Fig. 4
Outubro de 1998
Texto: R. J. Favrin , Unidade de Pesquisa de Saúde Vegetal.
Créditos das Fotos: Fig. 1. Charlie Harrington, Universidade Cornell. Fig. 2, 3 e 4 R. Favrin, CFIA, Nepean, Ontario.

 


Departamento de Agricultura dos Estados Unidos
Serviço Florestal 
Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal

NA-PR-01-99

Besouro Asiático Culticórnio (Anoplophora glabripennis): 
Uma Nova Introdução

O Besouro Asiático Culticórnio (BAC) foi descoberto atacando árvores nos Estados Unidos. Túneis escavados por larvas do besouro circundam os troncos e galhos das árvores. Ataques recorrentes levam à queda da copa da árvore e, finalmente, à morte da árvore. o BAC provavelmente migrou para os Estados Unidos dentro de materiais de embalagem de madeira sólida provenientes da China. O besouro foi interceptado em portos e encontrado em armazéns através de todo o território dos Estados Unidos. 

O inseto é uma praga grave na China, onde ele mata árvores de madeira dura. Nos Estados Unidos, o besouro prefere espécies de bordo (Acer spp.), entre elas negundo, Noruega, bordos vermelhos, prateados, de açúcar e plátanos. Outros hospedeiros conhecidos são castanheiras-da-índia, alfarrobeiras, olmos, bétulas, salgueiros, choupos freixos verdes. Não foi determinada uma lista completa de árvores hospedeiras nos Estados Unidos. Atualmente, o único modo efetivo para eliminação do BAC é remover as árvores infestadas e destruí-las por corte ou queima. Para evitar a disseminação do inseto, estabelecem-se quarentenas para evitar o transporte de árvores e galhos infestados da área. A detecção precoce de infestações e o tratamento rápido são cruciais para a erradicação bem-sucedida do besouro.

Informações Gerais

Existe, provavelmente, uma geração de BAC por ano. Os besouros adultos são encontrados geralmente entre maio e outubro, mas podem ser encontrados no início da primavera (março/abril) ou no final do outono (novembro/dezembro), se as temperaturas não estiverem baixas. Os adultos ficam, normalmente, nas árvores onde nasceram, ou podem dispersar-se por curtas distâncias até um novo hospedeiro, para alimentação e reprodução. Cada fêmea é capaz de pôr de 30 a 70 ovos. Os ovos eclodem em 10-15 dias, e as larvas cavam túneis sob a casca, e até o interior da madeira onde, ao final, tornam-se pupas. Os adultos saem dos locais de pupagem cavando um túnel na madeira e criando um orifício redondo de saída na árvore. 

Se você suspeitar de uma infestação de besouros asiáticos culticórnios, colete um besouro adulto em uma jarra, coloque-a no congelador, e notifique imediatamente qualquer um destes funcionários ou escritórios em seu Estado: 

Departamento de Estado da Agricultura: Responsável por Regulamentos Vegetais no Estado ou Entomologista Estadual
Departamento de Agricultura dos EUA:
Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal, Proteção e Quarentena de Plantas
Serviço Florestal
Escritório de Extensão Rural
Guarda Florestal do Estado ou Departamento de Recursos Naturais

 

 

 

O QUE PROCURAR:

 

1. Besouros adultos. Os espécimes têm de 19,05 a 31,75 mm de comprimento, com corpo preto rajado e pintas brancas dispersas nas costas. As longas antenas têm de 1½ a 2½ vezes o comprimento do corpo, com faixas distintivas pretas e brancas em cada segmento. Os pés têm uma coloração azulada.

 

2. Covas ovais ou redondas na casca. Esses locais de postura de ovos, ou ninhos, são mastigados pela fêmea do besouro, e é depositado um único ovo em cada ninho.

 

3. Escorrimento de seiva. A seiva pode escorrer dos ninhos de ovos, especialmente nos bordos, à medida que as larvas se alimentam no interior da árvore.

 

4. Acúmulo de serragem grossa. Ao redor da base das árvores infestadas, onde os galhos encontram o tronco, e onde os galhos encontram outros galhos. Essa serragem é criada pelas larvas do besouro à medida que cavam para dentro do tronco e dos galhos da árvore.

 

5. Orifícios redondos, de 9,5mm de diâmetro ou maiores. No tronco e em galhos, maiores do que 38,1mm de diâmetro. Esses orifícios de saída são feitos por besouros adultos quando saem das árvores.

 

 

Créditos das Fotos:
Serviço Florestal do Departamento de Agricultura dos EUA
Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal, do Departamento de Agricultura dos EUA

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos proporciona oportunidades de emprego iguais para todos.

——————————————————————————–

Preparado por: Serviço Florestal do Departamento de Agricultura dos EUA
Região Noroeste
Florestas Estaduais e Particulares,
Radnor, Pensilvânia